“Quo Vadis?”

Não, não é que a Vida tenha mudado tanto assim…

Ainda assim a Gratidão aumenta a cada dia. As Bênçãos são a cada dia mais.

É um olhar que se transforma, é um acordar para novas visões, as mesmas coisas de ângulos diferentes, e tudo se transforma a partir de dentro….É uma Luz que se acende de repente, as bênçãos são tantas e tão visíveis que poderíamos agradecer de manha à noite sem conseguir Agradecer por todas…

E…quantos de nós não sabemos, ou já ouvimos dizer que a Gratidão é uma das “chaves” da Vida… Quanto mais gratos somos, mais existe a agradecer…

A mudança acontece dentro, antes de a poderes encontrar plasmada na tua experiência.

Apesar de o sabermos este não é um movimento de “cabeça”, não é na mente que o milagre acontece! Não funciona quando agradeces na mente sem que o coração reverbere na mesma frequência…

Recordo as palavras da Professora Mestre Maria Flávia de Monsaraz quando referia que é necessário “Unir o Pensar ao Sentir”…

E algures entre a Mente e o Coração que encontramos o “caminho do meio”…

De repente brota de dentro como algo tão evidente e que ali sempre esteve mas não saberíamos antes como o reconhecer…

Claro, há um caminho a percorrer, há uma construção a fazer, existem dores e desilusões a experimentar…existe uma personalidade a lapidar, num purificar e polir constante…Uma alquimia interior a operar…

E… um dia os Olhos abrem (se) um pouco mais para ver e reconhecer as mil e uma Bênçãos com que todos os dias a Vida nos presenteia… E nada mudou significativamente (fora), no entanto tudo mudou aos olhos do coração…Os olhos que vêm, observam e reparam já não observam a Vida a partir do mesmo lugar…

Somos assim transportados a um novo nível, a uma nova fase de experiência, até que outro nível se revele…

Aceitar a Vida conforme Ela se nos apresenta…

Esperamos e desejamos que a Vida se molde à nossa vontade, que seja tudo aquilo que consideramos que deveria ser… Perdidos na confusão perdemos a capacidade de reconhecer o milagre, olhamos na direcção oposta, focamos a atenção em tudo o que vai mal e insistimos na ideia de que deveria ser de outra forma. Perdemos a capacidade de Aceitar e Confiar…

Pudéssemos nós ao menos perceber que é perfeito!!! Assim tal como se nos apresenta…

Cada curva… cada revés desta nossa experiência é puro potencial em movimento…

Pudéssemos nós reconhecer e aproveitar cada onda deste “mar” para nos levarmos mais Além, “ para nos Elevarmos mais Além…Para nos Erguermos um pouco mais…

Pudéssemos nós ver a oportunidade que nos está a ser dada quando a vida nos pára e uma a uma nos retira as distracções, quando nos obrigada a parar de correr e a ficar frente a frente com o vazio que nem sabíamos existir em nós, quando a Vida nos tira o essencial que vivíamos como assessório…Quantos de nós perceberam por estes tempos que temos vivido tantas vezes com as prioridades trocadas?

Estamos a ser convidados a rever a lista das prioridades na vida que escolhemos viver…

 Estamos a ser convidados a repensar o que e o quê nas nossas vidas, vale verdadeiramente a pena!

A bênção que é poder parar, e finalmente cair em nós!

Ao menos sabes porquê é que corres?

Qual é a pressa?

Onde e que queres chegar?

Qual é o verdadeiro sentido, a Verdadeira direcção que queres seguir na tua Vida?

O que é que te faz Feliz?

Com que é que vale a pena para ti “usar” o tempo limitado que te foi dado à nascença?

Vives a Vida que te faz sentido, ou caminhas cegamente sem te questionares?

Por onde vais?

“Quo Vadis?” Perguntaríamos em latim.

Que Viver é esse que te rouba a Alegria, a Serenidade, a juventude…que te faz acreditar que serás mais feliz quando tiveres isto ou aquilo que se compra com o dinheiro, mas tem por trás o caro preço do teu tempo Limitado, da tua Alegria, da tua Liberdade…

Será um preço justo esse pelo qual entregas a tua Vida?

Será esse o melhor uso que queres fazer com tudo aquilo que És?

Ah! Quanta vida não vivida….

Pudéssemos nós olhar desapaixonadamente e perceber que tudo são bênçãos, e agradecer os milagres, tantos deles revestidos de dor, de perda e sofrimento… é inevitável…

Da vida fazem parte as “dores” … “as dores do crescimento“

Por certo a lagartinha quando se rende e se isola no casulo também sofre de algumas “dores” para poder encontrar a liberdade de Voar na sua forma de Borboleta.

Por certo a cobra quando chega a hora de rasgar a sua própria pele para se libertar da velha, também passa por dores…

Por certo (e por AMOR) a nossa mãe teve de aceitar as dores do parto para nós hoje estarmos aqui. A nova vida reveste-se de dor, de sofrimento, por Algo maior que valha a pena!

Algo que valha a “Pena” … já que as dores não são possíveis de evitar ao menos que delas nasça Algo que valha a Pena!

Difícil mesmo é sofrer sem ter uma causa, sem compreender o porquê? Sem ter Algo Maior ao qual consagrar a dura caminhada. Difícil é o sofrimento que não é aceite como meio para transcender para uma nova forma, quem sabe desta vez com as cores e as asas de uma borboleta.

Sofres porque não aceitas, sofres porque queres impor as tuas regras e condições à VIDA!

A VIDA!!! Esse fluxo livre e inconstante, cheio de movimento, qual Espírito livre que não se deixa corromper… A VIDA esse fluxo sabiamente guiado ao som da musica das esferas.

Sofres quando na tua pequenez queres mudar e controlar,empurrar e apressar, fazer e desfazer…sem escutar a musica das esferas.

Sábio é aquele que sabe esperar o tempo certo, os ventos favoráveis, a fase certa da lua para fazer coincidir a sua intenção com a Intenção Maior.

Pois Rende-te! Entrega, Aceita como uma grande Mãe, que por AMOR, se rende e aceita as dores do parto.

Não há nada que te chegue como proposta, desafio, oportunidade que não sirva o Propósito de te tornar Maior e mais Amoroso do que eras na versão anterior.

Larga a ilusão da Perfeição, Aceita o Caminho como se te apresenta, honra a Vida fazendo dela o melhor que podes e sabes, senta-te, Sossega, e faz uma reflexão… tudo é bênção mesmo que algumas Bênçãos nos cheguem na forma de “dores”…

Acaso serias o mesmo que És Hoje, sem ter percorrido o caminho que percorreste até aqui?

Pois não serias por certo! E se de alguma coisa de arrependes até aqui, então é porque não lhe encontras-te o propósito, a lição, a aprendizagem..

É nas mais duras batalhas que emergem os mais dignos Guerreiros.

e… recorda… Que não existe outra coisa que não Bênçãos!

E depois de tudo…Diz-me lá… “QUO VADIS”?





About Estrela D'Alma
Ana Luiza Barata é uma eterna estudante e investigadora na área da Astrologia e do desenvolvimento pessoal.

3 Comments

  1. que maravilha 🙏❤️🔥🌞❤️

    Responder
  2. Gratidão… Ana, por estas palavras

    Responder

Your email address will not be published.